domingo, 21 de dezembro de 2008

Minha vida já está escrita em letras de músicas e poesia

Escute sempre a mensagem, pois a fala muitas vezes é vazia e vem embaraçada de defesas, defesas necessárias até o reconhecimento de si mesmo.
Na falta da fala, a mensagem do silêncio é retumbante; ecoa insolitamente pelo ambiente revelando muito mais que os discursos elaborados nas sutilezas dos vocábulos.

Ah! linguagem!

Vida toda linguagem” na linguagem de Faustino a frase é perfeita sempre, por trazer consigo além da fala, a (im)perfeita representação da vida em versos.

Vida em verso, em prosa... em letras e melodias.
Em lágrimas e sorrisos.
Em saudades e no passado.

Linguagem simples, límpida, vívida e objetiva.
Linguagem em iminência de ser o que representa

E me dou conta que esta vida, a minha, já é linguagem e de alguma forma...

Quando as sombras vão ficando compridas
Enchendo a casa de silêncio e preguiça
Nessas horas é que Deus deixa pistas
Pra eu ser feliz
Leoni/Leo Jaime, Fotografia

Mas eu denuncio. Denuncio nossa fraqueza, denuncio o horror alucinante de morrer e respondo a toda essa infâmia com exatamente isto que vai agora ficar escrito e respondo a toda essa infâmia com a alegria. Puríssima e levíssima alegria. A minha única salvação é a alegria. Uma alegria atonal dentro do It essencial.
Não faz sentido? Pois tem que fazer. Por que é cruel demais saber que a vida é única e que não temos como garantia senão a fé em trevas – porque é cruel demais, então respondo com a dureza indomável. Recuso-me a ficar triste. Sejamos alegres. Quem não tiver medo de ficar alegre e experimentar uma só vez sequer a alegria doida e profunda terá o melhor de nossa verdade
Clarice Lispector, Água viva


Pena a vida não ser assim tão objetiva!

2 comentários:

IN VITRO disse...

Olá. obrigado pelo comentário. fico muito feliz por saber que existem pessoas que gostam do que eu escrevo. A questão da linguagem sempre me fascina, ainda mais falando de poesias e prosas. E Clarice Lispector é uma devoradora da palavra, mastiga até tirar o sumo, até deixar a palavra com o goso apenas da saliva. até mais.
abçs

Maria disse...

Ah sim! Este silêncio que sempre fala mais por nós!Gosto da sua vida linguagem, do que ela traz pra minha vida. Rica de novos sentidos, ou de sentidos palpáveis, vividos e não só citados.

“Não faz sentido? Pois tem que fazer.”

Beijo meu =*